Pedido

BOAS LEITURAS!!!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Saga da Baía de Chesapeake - "O Azul da Baía" de Nora Roberts

Nº de páginas: 257
Preço (Bertrand): 18,02€
Editora: Chá das Cinco
Ano de lançamento: 2008

“Seth chegou finalmente a casa. Foi uma viajem longa. Depois de uma infância complicada com uma mãe toxicodependente, foi acolhido pela família Quinn e cresceu com três irmãos mais velhos que o protegeram e amaram. Agora, um homem feito e de regresso da Europa como um pintor aclamado, Seth instala-se perto dos seus irmãos: Cam, Ethan e Phil. O seu sonho? Uma casa branca, um barquinho na doca, uma cadeira de baloiço no alpendre e um cachorro a seus pés.
Mas muita coisa mudou na pequena vila desde que Seth partiu para a Europa e a mais intrigante de todas é a presença da jovem Dru Banks. Uma rapariga da cidade que abriu uma loja de flores junto ao mar, ela procura independência e o desafio de conseguir algo sem a influência da sua poderosa família. Em Seth ela vê outro desafio… um desafio a que não consegue resistir.
Mas há uma tempestade no horizonte que vai testar esta relação aos limites. O passado de Dru fez dela uma mulher que tem dificuldade em confiar. E o de Seth tornou-o alvo de uma chantagem… quando um segredo que ele sempre manteve escondido ameaça vir ao de cima e destruir não só a sua nova vida mas também a dos seus irmãos”

O meu comentário:

Umas enormes lágrimas de tristeza escorrem pelo meu rosto! É isso mesmo que estás a pensar… Este é o último romance da saga onde temos de nos despedir dos Quinn e dar largas à nossa imaginação no que toca ao seu futuro.
Como já te deves ter apercebido, desta vez, o protagonismo cabe a Seth, o pequeno miúdo que, tal como os irmãos/tios, teve uma infância muito triste e lamentável.
Dezoito anos passaram desde o livro “Porto de Abrigo” onde Phillip encontra em Sybill, a tia de Seth, a sua alma gémea, e o jovem regressa da Europa como um aclamado pintor.
No início ficamos um pouco baralhados com a quantidade de miúdos descendentes dos três Quinn mais velhos, mas ficamos felicíssimos por saber que a chama da paixão continua acesa apesar da idade (Anna e Cameron, principalmente, continuam apaixonados como da primeira vez que se viram).
Feliz por estar de regresso Seth dirige-se a uma nova florista na vila com o intuito de comprar flores às mulheres da sua vida e não é o seu espanto quanto se depara com Drusilla Banks? Ela é mesmo a mulher dos seus sonhos e está mesmo interessado em pintá-la, coisa que ela não acha piada nenhuma ficando com a ideia que só se trat de mais uma conquista para juntar à lista das mulheres com quem já partilhou a cama.
A verdade é que a pouco e pouco estes dois vão-se aproximando e apercebem-se de que não conseguem viver um sem o outro sendo cada um deles metade de um todo que lhes trará a felicidade.
O enorme problema é que Gloria DeLaunter está de volta e exige, mais uma vez, dinheiro ao seu filho ameaçando-o de que vai contar à imprensa a sua versão da infância do jovem e que como consequência ele perderá a mulher da sua vida.
O que irá Seth fazer para proteger aqueles que ama? Irá finalmente impor-se e dizer à mulher que o trouxe ao mundo que já não tem nada a ver com ela? Terão Seth e Dru o final feliz que sempre mereceram?
Um livro fascinante sobre amor, família, pintura, flores... que nos marcará para sempre e que ficará sempre nos nossos corações como o encerramento de uma grande saga que levou Nora Roberts a casa de muitas famílias e que as tornou numas grandes viciadas no seu estilo literário.
Se gostaste dos anteriores vais adorar este desfecho…

Como sou muito simpática e amiga tenho aqui uma surpresa para ti…
Tenho aqui disponível o link de um conto da autoria da escritora intitulado “O Natal dos Quinn” onde podes reencontrar esta família.
Não te esqueças de o ler…

“Roberts apresenta uma prova suculenta, um toque de sobrenatural e algum sexo envolvente”
The Boston Globe

NOTA: Informo os leitores do blog que este livro tem partes impróprias não aconselhando o desfrutar das suas páginas a leitores mais frágeis a estes assuntos, principalmente a menores de treze anos que não estão na altura crítica da adolescência e das hormonas

Aqui poderás consultar um excerto da obra

Sem comentários:

Publicar um comentário