Pedido

BOAS LEITURAS!!!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

“Para a Minha Irmã” de Jodi Picoult

Nº de páginas: 407 
Preço (Bertrand): 20,10€ 
Editora: Civilização Editora 
Ano de lançamento: 2005 

“Anna não está doente, mas bem poderia estar. Aos treze anos de idade já passou por várias operações, transfusões e injecções para ajudar a irmã, Kate, que sofre de leucemia. Anna nasceu com esta finalidade, disseram-lhe os pais, e é por isso que eles a amam ainda mais. 
Mas agora ela não pode deixar de se questionar sobre como seria a vida dela se não tivesse presa à irmã… e toma uma decisão que, para a maioria das pessoas da sua idade, seria quase impensável” 

O meu comentário: 

Uma obra com um enredo muito marcante e que nos coloca, mais uma vez, numa situação deveras complicada. 
Anna nasceu com o propósito de salvar a sua irmã mais velha, Kate, de um tipo de leucemia muito raro, tendo de estar sempre pronta para se envolver em protocolos médicos desde que veio a este mundo. 
Estando farta de ser vista unicamente como a salvadora da irmã e de ter de se sacrificar em seu prol, esta acaba por tomar a decisão de contratar um advogado para conseguir emancipação médica dos seus pais, conseguindo assim ter controlo do seu corpo. 
A partir desse momento somos mergulhados na vida de uma família e de um conjunto de pessoas em redor que se vêem envolvidas numa situação em que de um lado está uma criança que é constantemente internada no hospital precisando de transplantes e transfusões sanguíneas, e do outro se encontra uma jovem que nunca pode ter uma infância normal, passando maior parte desta dentro das paredes hospitalares. 
Uma história que nos comove e que nos leva a pensar no que será a solução mais correcta para este problema. 
Um livro que achei muito interessante, mas que, na minha opinião, perdeu um pouco da sua magia por já ter conhecimento da história através da adaptação cinematográfica que é muito semelhante. Por isso não tomem a mesma decisão que eu! Optem por ler a obra primeiro, até porque o final é diferente… 

“Picoult tornou-se perita – quase clarividente – em escrever sobre assuntos polémicos de modo cativante… É impossível resistir ao seu apelo para pensarmos, muito, sobre o certo e o errado” 
The Washington Post

 

2 comentários:

  1. Olá!
    Tal como tu li o livro primeiro :)Condordo que se deva ler o livro primeiro, acaba por ser mais avassalador!

    BTW, gostei mais do livro do que do filme :b

    Beijonhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu achei que o final do filme faz mais sentido

      Eliminar