Pedido

BOAS LEITURAS!!!

domingo, 11 de novembro de 2012

“Escolhi o teu Coração” de Emily Giffin

Nº de páginas: 368 
Preço (Bertrand): 16,60€ 
Editora: Porto Editora 
Ano de lançamento: 2009 

“ «Escolhi o teu Amor» é uma história envolvente sobre uma mulher na encruzilhada da vida e das emoções e sobre as razões que, por um lado, nos fazem escolher amar quem amamos e, por outro, nos impedem de esquecer quem nos partiu o coração. 
A relação de Ellen e Andy não é aparentemente perfeita. 
Eles amam-se verdadeiramente. Não há dúvidas de que a sua relação é repleta de entrega e devoção mútuas. 
Até que um dia acidentalmente, Ellen cruza-se com Leo, o ex-namorado com quem manteve uma relação problemática e obsessiva; o mesmo homem que um dia, sem explicação, a deixou e lhe despedaçou o coração. 
Leo, que Ellen nunca esqueceu e que, oito anos depois, reaparece por acaso e faz com que ela questione se a vida que tem é, afinal, a vida que quer e merece” 

O meu comentário: 

Uma mulher, quando se encontra numa relação em que está perdidamente apaixonada pelo companheiro, quando as coisas acabam por não resultar havendo um rompimento, esta sofre mesmo muito, ficando isolada de quem a queira animar e fazê-la esquecer do “parvo” que a abandonou. 
Isso foi o que aconteceu com Ellen, ela estava perdidamente apaixonada pelo Leo, um homem sexy, amoroso, mas que, a certo ponto da relação, deixou de lhe dar a importância devida, acabando com o relacionamento. 
Claro que a jovem na altura ficou com o coração destroçado, isolando-se, de certa forma, das pessoas mais próximas, incluindo a sua melhor amiga que nunca tinha gostado do seu amado, incriminando-o e insultando-o por tudo o que esta estava a passar. 
Porém, as feridas acabam sempre por sarar, investindo Ellen em novos relacionamentos, encontrando em Andy, estranhamente o irmão de Margo, um homem que a compreende, que a ama incondicionalmente não se importando com as suas origens. Assim, a certa altura da sua vida, decidem dar o nó passando a viver como um casal na grande cidade que os acolheu – Nova Iorque. 
Todavia, num dia em que se encontra a deambular pela cidade, a jovem agora uma mulher casada, reencontra o ex-namorado, despertando certos sentimentos que pensara que unicamente pertenciam ao marido. 
A partir daí a sua vida torna-se uma enorme confusão, sendo constantes os encontros com Leo, sendo a sua mente ilustrada com imagens de momentos passados, acabando o seu próprio casamento por ficar em risco, estando cada vez mais próxima de trair Andy e toda a sua família que acreditou nela e a acolheu. 
Um livro que achei deveras interessante e que, até a mim, me deixou indecisa de qual seria o homem mais interessante e com quem eu queria que a protagonista acabasse. 
Uma história que nos mostra que às vezes nós pensamos que algo do passado terminou e que não há retorno, mas que pode regressar para nos assombrar e pôr em risco tudo o que conquistámos desde esse marco que nos afectou. 
Ellen tomou a sua decisão e, de certa forma, acabou por ser a mais acertada: nunca devemos acabar com algo magnífico que construímos por algo que já passou e que sempre será incerto. 
O relacionamento com Leo era uma aventura, algo como o fruto proibido que a tentava cada vez mais a cair na “desgraça”. Quanto a Andy este representava uma vida a dois, com casamento, filhos, família… Claro que sempre teriam os seus problemas, por mais pequenos que fossem, mas tudo se enfrentariam e ao ultrapassarem qualquer obstáculo ficariam cada vez mais fortes. 
Um enredo que me deixou a pensar em quais seriam as decisões mais acertadas, ficando o leitor sempre agarrada à personagem principal tentando compreender verdadeiramente a situação em que se encontra, tomando o partido que acha o mais acertado. 
Boas leituras e bom São Martinho! 

“Como se pode voltar a amar de novo se ainda não esquecemos quem partiu?”

Sem comentários:

Publicar um comentário