Pedido

BOAS LEITURAS!!!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

"Era Uma Vez Uma Rosa"

Nº de páginas: 366
Preço (WOOK): 16,80€
Editora: Babel
Ano de lançamento: 2008

“Rosa de Inverno – Nora Roberts
Numa ilha remota amaldiçoada por um Inverno sem fim, uma rainha ainda jovem cuida das feridas de um soldado – e descobre no seu coração as alegrias do verdadeiro amor.

A Rosa e a Espada – Jill Gregory
A derradeira esperança de uma princesa exilada que quer recuperar o reino perdido reside em casar-se com um príncipe amargurado – um homem ao mesmo tempo estranho e irresistível.

As Rosas de Glenross – Ruth Ryan Langan
Refugiada numa abadia, algures numa Escócia devastada pela guerra, uma jovem solitária cuida de um roseiral assombrado – enquanto um heróico militar se conforta na chama do seu amor.

A Mais Bela das Rosas – Marianne Willman
Durante a perigosa demanda para conquistar a mão de uma princesa, um ousado cavaleiro apaixona-se pela única mulher que realmente lhe pode salvar a vida – e lhe conquista o coração”

O meu comentário:

Quem resolveu juntar estas quatro romancistas numa só obra teve um ideia excelente e deve ser louvado pelo seu magnífico trabalho. Se Nora Roberts já que encanta, as outras três não lhe ficam atrás e, pelos comentários deixados a cada história, podemos tirar a grande conclusão de que elas se adoram umas às outras sendo boas amigas.
Numa apreciação geral à obra digo-vos que, em relação aos outros dois compêndios “Era Uma Vez…”, achei esta obra mais interessante e algumas autoras, nomeadamente Willman, que se tratava da que menos apreciava, desta vez me deixaram surpreendida pela positiva. Outra coisa que achei interessante foi uma maior semelhança entre as histórias, sendo todas numa época mais medieval com todos os seus mitos.

Em “Rosa do Inverno”, Roberts apresenta-nos o triste passado de Deirdre, a rainha da Ilha do Inverno, que se vê nas condições de uma lamentável maldição lançada pela sua tia que faz com que seja sempre Inverno e diversos problemas sejam ultrapassados pelo seu reino. Contudo, tudo muda quando Kylar de Myron, um príncipe guerreiro, chega ferido ao Castelo da Rosa, pois este irá mostrar a Deirdre o mundo que sempre desejou conhecer e fazer com que, a pouco e pouco, o gelo que envolve o seu coração se derreta.

Gregory, que presentemente descobri que tem o verdadeiro nome de Jan, em “A Rosa e a Espada” dá-nos a conhecer Brittany (ou Britta), uma jovem que afinal se trata da herdeira do trono de Palladrin, mas que teve de se esconder durante grande parte da sua vida, pois um temível feiticeiro de nome Darius, conquistou o seu reino e destrui toda a sua família. Todavia, esta ainda tem esperança para triunfar, pois existe uma lenda que afirma que o Ceptro da Rosa e a Espada da família Marric juntos conseguirão vencer o usurpador do trono. O pior é que esta se encontra noiva de Lucius de Marric, dono da espada, que não conhece verdadeiramente e parece ser um bêbado e só com ele conseguirá triunfar.

Em “As Rosas de Glenross”, Ruth Ryan Langan dá-nos a conhecer Jamie e Alexa, dois jovens que se encontraram no meio de uma batalha, sendo a rapariga salva de uns bárbaros por este, mas que perderam os seus entes queridos ficando sós no mundo. Assim, sendo sobreviventes da terrível batalha, acabam por ir parar a uma abadia onde são tratados por freiras e se reencontram conhecendo-se melhor. Estes acabam por ultrapassar as suas perdas e apaixonar-se perdidamente. Porém, Jamie tem de regressar ao seu povo e pede à sua amada para o acompanhar, tendo esta recusado o pedido, pois tenciona ficar e cumprir a promessa que fez a Lady Anne, o fantasma que a visita em sonhos.

Por fim, temos Marianne Willman com o contos dela que mais gostei até agora. Em “A Mais Bela das Rosas” somos inicialmente presenciados com o nascimento de Mouse (na realidade Rosaleen) e a morte da sua mãe. Este momento toca-nos no coração, pois Deirdre antes de morrer e dar à luz o seu rebento, ela vê chegar o amor da sua vida de uma batalha, e encontra-se toda entusiasmada em contar-lhe as novidades: encontra-se à espera do seu filho. Contudo, este nem olha para ela e vem acompanhado de outra mulher com quem casou. Mas as más noticias não ficam por aqui… É que Gilmore não a trocou de livre vontade, este foi enfeitiçado pela sua nova mulher, e esta também lançou os seus poderes sobre Deirdre e a jovem princesa abatendo-se o mal sobre elas. Assim, com vista em salvar a filha de Deirdre e Gilmore, uma curandeira lança um feitiço de esquecimento em Rosaleen com vista a protegê-la da sua madrasta, sendo esta a única a ter conhecimento das suas verdadeiras origens. A única coisa que a pode retirar do feitiço e fazer com que seja restaurada a verdade do reino é se esta se apaixonar verdadeiramente por um homem bom. Isto acaba por acontecer quando a jovem vê Tor, mas este encontra-se interessado na sua meia-irmã, nem sequer sabendo que esta existe, assim como todos os outros homens que alguma vez conheceu.

“O amor cresce como as pétalas voluptuosas da primeira rosa do ano”

NOTA: Informo os leitores do blog que este livro tem partes impróprias não aconselhando o desfrutar das suas páginas a leitores mais frágeis a estes assuntos, principalmente a menores de treze anos que não estão na altura crítica da adolescência e das hormonas

Sem comentários:

Publicar um comentário