Pedido

BOAS LEITURAS!!!

sábado, 22 de janeiro de 2011

"Hex Hall" de Rachel Hawkins

Nº de páginas: 228
Preço (Bertrand): 16,50€
Editora: Gailivro
Colecção: 1001 Mundos
Ano de lançamento: 2010

“Virei-me para sair, mas a porta fechou-se a poucos centímetros da minha cara. De repente, um vento pareceu soprar através da sala e as fotografias nas paredes chocalharam. Quando me virei de novo para as raparigas, estavam as três a sorrir, os cabelos a ondularem-lhes à volta dos rostos como se estivessem debaixo de água.
O único candeeiro da sala tremeluziu, e apagou-se. Eu apenas conseguia distinguir faixas prateadas de luz que passavam sob a pele das raparigas, como mercúrio. Até os seus olhos brilhavam.
Começaram a levitar, as pontas dos sapatos regulamentares de Hecate mal tocando a carpete musgosa. Agora, já não eram rainhas do baile de finalistas, nem supermodelos – eram bruxas, e até pareciam perigosas.
Apesar de me debater contra a vontade de cair de joelhos e colocar as mãos acima da cabeça, pensei, «Eu também seria capaz de fazer aquilo?»”

O meu comentário:

Depois de uma grande quantidade de livros sobrenaturais sobre anjos, lobisomens e especialmente vampiros, é sempre bom desenjoar um pouco e ler este interessante livro que nos apresenta o mundo das bruxas. Para além de se ler bem e ser pequenito, as personagens são engraçadas e algumas pessoas podem identificar-se com a protagonista.
Sophie, uma jovem bruxa, que nunca conheceu o pai, depois de se envolver em mais problemas que comprometem o mundo mágico, é enviada pelo seu progenitor desconhecido para a escola Hecade (Hex) Hall, própria para jovens que tenham posto a sua identidade em risco.
Inicialmente, esta sente-se deslocada, mas rapidamente começa a fazer amigos, nomeadamente a sua colega de quarto, Jenna, e o feiticeiro mais giro da escola, Archer. Contudo, como em todas as histórias de adolescentes, existe o grupo das populares, que deseja infernizar-lhe vida depois de não ter aceitado juntar-se a elas.
A certa altura, uma das suas inimigas é encontrada à beira da morte, o que faz com que as culpas recaiam novamente para cima de Jenna, a sua amiga vampira, e para salvar a pele da amiga, tem de descobrir o verdadeiro culpado.
Entretanto, esta conhece o espírito da sua bisavó, que, durante a noite, lhe dá aulas de magia com vista em melhorar as suas capacidades e cumprir o seu destino grandioso.
Uma história de que gostei e por que espero ansiosamente pela continuação, que sairá nos Estados Unidos dia 1 de Março (Demonglass) e que me surpreendeu com o desenrolar da história, nomeadamente com a verdadeira identidade de Archer e com a descoberta do passado e das verdadeiras circunstâncias de vida de Sophie Mercer.
Ler para crer, é o que vos digo, e, já agora, para conhecer.

“Abrir Hex Hall foi como abrir uma caixa de chocolates, ao revelar-se impossível exercer qualquer tipo de auto-controlo! Houve, pelo menos, uma gargalhada por página, uma protagonista esperta e auto-depreciativa, Sophie Mercer, e um misterioso assassino que fez com que as páginas passassem por si próprias, ou se calhar a culpa foi de um dos Prodigium! Conclusão, fui enfeitiçada por Sophie Mercer!”
Becca Fitzpatrick, autora de Hush, Hush

Sem comentários:

Publicar um comentário