Pedido

BOAS LEITURAS!!!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

“Uma Villa em Itália” de Elizabeth Edmondson

Nº de páginas: 400 
Preço (Bertrand): 16,50€ 
Editora: Edições Asa 
Ano de lançamento: 2008 

Quatro pessoas, uma herança misteriosa e um irresistível convite para um lugar mágico. 

Delia, filha de lorde e cantora de ópera não consegue esquecer o ex-namorado, agora casado com a sua irmã. George, um cientista nuclear de Cambridge, não consegue perdoar-se por ter participado no desenvolvimento da bomba atómica. Marjorie escreve policiais, ou melhor, escrevia, já que se debate há algum tempo com um bloqueio criativo. E Lucius, um banqueiro de Boston, vive ainda assombrado pelas memórias da guerra. 
Quatro pessoas aparentemente sem nada em comum, vêem o seu nome mencionado no testamento de uma mulher que não conhecem. Quem foi Breatice Malaspina e porque exige que compareçam na sua villa em Itália? Enquanto esperam pelas respostas, a magia do lugar começa a exercer os seus efeitos sobre eles: os frescos desbotados, os jardins exuberantes e a magnífica torre medieval não se assemelham a nada que já tenham visto. Aos poucos, quatro pessoas que sempre fizeram os possíveis por esconder os seus problemas descobrem que a mudança – e até mesmo a esperança – é possível. Mas a misteriosa Beatrice tem um segredo arrebatador que os afectará a todos…”

O meu comentário: 

E mais uma estreia para o repertório deste ano de 2013. 
Numa altura em que o país está a ser fustigado por desgraças, nada melhor do que viajar um pouco até Itália, fugindo um pouco dos meios de comunicação social que não falam de outra coisa. 
Contudo, uma obra que a partir da sinopse parecia ter tanto potencial tornou-se um pouco diferente do que estava à espera. 
Muitos foram os momentos em que me encontrei um pouco aborrecida, esperando pelo desvendar do mistério de Beatrice, ou então que acontecesse algo de interessante para a trama. 
Tendo espreitado o final para saber se pelo menos tinha algum romance presente, fiquei contente por haver alguma coisa entre Delia e Lucius. Então não é que não acontece nadinha entre eles? A passagem coscuvilhei era o momento, mesmo no final, em que este lhe diz que está apaixonado por esta, não sabendo o leitor, à partida, a resposta da música. 
É que nem sequer sabemos se eles ficam eventualmente juntos! 
Por outro lado, ao contrário dos outros livros passados em Itália a que estamos habituamos, esta obra não nos mostra muito desse país que me tem vindo a encantar há muitos anos, não só pela sua paisagem, mas também pela história e… gastronomia, claro. 
Se bem me lembro, já me tinham dito que este seria dos livros mais fraquitos da leitora, mas como estava disponível para alugar na biblioteca, resolvi trazê-lo comigo para esta penúltima semana de férias a custo 0. 
Já tendo em vista o livro «A Arte de Amar», é rezar para que esta autora me surpreenda, levando-me a ler as suas obras. 
Boas leituras! 
Agora vou-me dedicar a Dorothy Koomson, uma autora muito apreciada. Já leram? 

“O livro perfeito para umas férias de verão” 
The Oxford Times

Sem comentários:

Publicar um comentário