Pedido

BOAS LEITURAS!!!

sábado, 20 de outubro de 2012

“A Culpa é das Estrelas” de John Green

Nº de páginas: 256 
Preço (Bertrand): 15,90€ 
Editora: Edições ASA 
Ano de lançamento: 2012 

“Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente rescrita. 

PERSPICAZ, ARROJADO, IRREVERENTE E CRU, «A Culpa é das Estrelas» é a obra mais ambiciosa e comovente que o premiado autor John Green nos apresentou até hoje, explorando de maneira brilhante a aventura divertida, empolgante e trágica que é estar-se vivo e apaixonado” 

O meu comentário: 

Neste momento triste em que uma pessoa se vai mais abaixo, o que tinha mais vontade era de ouvir baladas que, de certa forma transpusessem os meus sentimentos para a música. Porém, depois de muito tempo a ouvir as mais diversas melodias, resolvi procurar nesta obra o descanso que merecia. 
Assim, facilmente mergulhei nas 256 páginas desta obra que nos traz uma jovem de 17 anos que sofre às mãos da doença que hoje em dia está em voga – o cancro. 
Passando maior parte do tempo em casa na companhia, ou melhor dizendo, sob o controlo da sua mãe, é forçada a procurar no Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro alguém com quem possa partilhar os momentos difíceis por que passa por todos os dias. 
Entretanto, acaba por conhecer um rapaz que sobreviveu à sua cota parte, passando a poder contar com ele para diversas coisas. O problema é que, pouco a pouco, a amizade entre ambos parece estar a transformar-se num romance que, de todas as formas, parece não estar destinado a durar muito tempo, estando um “amaldiçoado a passar os seus dias sem o outro. 
Uma obra que nos ensina que o amor entre dois adolescentes pode ser mais forte que tudo até mesmo do que a própria morte e que, de certa forma, me ajudou a ultrapassar o que aconteceu no passado dia 19 de Outubro e a entender que a morte nem sempre é uma coisa má e que onde quer que uma pessoa esteja de certeza que está em paz, acabando-se o seu sofrimento terrestre… 
 Quem sofre mais são aqueles que cá ficam! Até sempre Daniela, colega de brincadeiras na grande terra que nos viu nascer! Espero que estejas lá em cima a desfrutar de toda a comida chinesa a que possas pôr mão. Come um minchi por mim… :) 

“Muito perto da genialidade… 
Simplesmente devastador…” 
Lev Gorssman – Time Magazine


Sem comentários:

Publicar um comentário